Qualidade e confiança para veículos elétricos

Atualizado: 5 de abr.



Os veículos elétricos estão cada vez mais se tornando parte de nosso dia, estimando-se 20% CAGR (taxa de crescimento anual composta), puxada principalmente por países da Europa, América do Norte e da Ásia. As metas de mudança para tecnologia elétrica são incentivadas em países como a Noruega, Suécia e Dinamarca, que devem atingir 100% das vendas até 2030. Também sendo o objetivo de montadoras, como no caso da Ford e da Volvo que querem descontinuar a produção de veículos a combustão até o final desta década.


Os motores elétricos que são o coração desta tecnologia estão passando por um processo de revolução em sua construção, levando investimentos não somente em processos produtivos, mas também no controle de qualidade.


Conforme artigo publicado pela VDA – Associação da Industria Automotiva Alemã (https://www.vda.de/vda/de/themen/innovationen/innovationen-2021/stator-tester) a condutividade magnética dos conjuntos estator e rotor é um critério decisivo para a eficiência dos acionamentos elétricos para a eletro mobilidade, e influencia fortemente o desempenho e o alcance do motor. Parâmetros importantes são perda de watt, permeabilidade e polarização.


Influências relacionadas ao processo podem alterar a qualidade da classe da chapa elétrica utilizada. Por exemplo, estudos mostram que a perda de watt específica da classe pode muito bem dobrar sobre as etapas individuais do processo de "bobina a estator". Isto pode, em última análise, levar a que os acionamentos eletrônicos não atinjam os índices requeridos no "teste de fim de linha".


A BROCKHAUS Measurements, é uma empresa alemã que se dedica à avaliação de aços elétricos, desenvolvendo sistemas de testes e sensores com os quais as propriedades magnéticas podem ser medidas de forma rápida e confiável em cada etapa de produção de estator e rotores estampados.


Assim existem diversas oportunidades de avaliações intermediárias conforme imagem abaixo:


Desta forma, as especificações qualitativas podem ser verificadas a qualquer momento, possíveis produtos defeituosos podem ser descartados e o alto padrão de qualidade desejado pode ser garantido.


Além da medição clássica de circuito traseiro, o comportamento magnético nos dentes do estator também pode ser medido e uma inspeção de 100% dos estatores acabados pode ser realizada. Assim, fica assegurado que todos os motores estão prontos para encarar os desafios do dia a dia.



Autor: Eduardo da Silva – Gerente de Vendas da AMS-Nippon Rika e Eurolatina

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo